Pesquise no site da PIB:

 

 

 

                        

MENSAGEM PIB BRÁS – DATA – TEXTO – Salmos 127

 

I. INTRODUÇÃO:

No mês de fevereiro no encontro de casais em nossa igreja, tive a oportunidade de abordar este tema e entendo que é um tema relevante para toda igreja e todas as famílias.

Na época atual, o ritmo incessante das transformações gera angústias e incertezas e dá lugar a uma nova lógica, pautada pelo individualismo e pelo consumo.

“Fluidez” é a qualidade de líquidos e gases. (…) Os líquidos, diferentemente dos sólidos, não mantêm sua forma com facilidade. (…) Os fluidos se movem facilmente. Eles “fluem”, “escorrem”, “esvaem-se”, “respingam”, “transbordam”, “vazam”, “inundam” (…) Essas são razões para considerar “fluidez” ou “liquidez” como metáforas adequadas quando queremos captar a natureza da presente fase (…) na história da modernidade.

O trecho acima faz parte do prefácio de Modernidade Líquida, uma das principais obras do polonês Zygmunt Bauman (1925 – 2017), professor emérito das universidades de Leeds (Inglaterra) e Varsóvia (Polônia) e um dos mais importantes sociólogos da atualidade. Com uma linguagem simples e acessível, Bauman lança um olhar crítico para as transformações sociais e econômicas trazidas pelo capitalismo globalizado.

Conceito central do pensamento do autor, a “modernidade líquida” seria o momento histórico que vivemos atualmente, em que as instituições, as ideias e as relações estabelecidas entre as pessoas se transformam de maneira muito rápida e imprevisível:

“Tudo é temporário, a modernidade (…) – tal como os líquidos – caracteriza-se pela incapacidade de manter a forma”.

Diante deste conceito fica claro que vivemos em um mundo de incertezas, extrema insegurança em relação à duração da ordem política e à estabilidade de cada sujeito dentro da sociedade.

Neste tempo o relacionamento se torna frágil, uma mera conexão, nova forma de se relacionar na modernidade liquida. Todos podem trocar seus parceiros, sem remorso por outros. É fácil desconectar.

Para Bauman, quando a qualidade das relações diminui vertiginosamente, a tendência é tentar recompensá-la com uma quantidade absurda de parceiros. Talvez um bom exemplo seja, também, a quantidade de amigos que as pessoas costumam ter em redes sociais. São números que ultrapassam 300, 500 amigos, algo que seria irreal para uma convivência cotidiana de qualidade. 

Fica então a pergunta:

Como ser uma família sólida nesta sociedade liquida?

Uma família sólida que agrade ao Senhor Jesus

Para isso é necessário resgatar alguns princípios básicos que todos nós já conhecemos e que precisamos intensificar em nossos dias.

 

II. DIVISÃO:

 

1. UMA FAMÍLIA SÓLIDA SABE A DEFINIÇÃO DE SEUS PAPÉIS – Efésios 5:22-33 e 6:1-4

Maridos – ame a sua própria mulher com a si mesmo – Amor de Cristo, sacrificial.

Esposas – reverencie a seus maridos, como a igreja esta sujeita a Cristo.

Filhos – sede obediente aos pais no Senhor.

Pais – não provoqueis a ira a vossos filhos, criai-os na disciplina e admoestação do Senhor.

NOTE QUE TODOS OS PAPÉIS DEVEM SER VIVIDOS NO SENHOR!

 

2. UMA FAMÍLIA SÓLIDA VIVE EM ORAÇÃO – I Tessalonicenses 5:17 e Lucas 11:1-13 – A oração tem como objetivos:

Reverenciar a Deus

Buscar a Vontade de Deus para sua família

Reconhecer a dependência no Senhor em relação a sua família

 

3. UMA FAMÍLIA SÓLIDA SABE A IMPORTÂNCIA DA PALAVRA – Deuteronômio 6:4-9

Meus filhos meus discípulos – somos professores e conselheiros

 

4. UMA FAMÍLIA SÓLIDA SABE O VALOR DO PERDÃO – Mateus 6:12 e 18:21-22

O perdão é fundamental para fortalecer os relacionamentos.

 

5. UMA FAMÍLIA SÓLIDA VIVE PARA GLÓRIA DE DEUS – Genesis 12:1-3

Somos abençoados para poder abençoar aos outros, e sem duvida nossa maior bênção é a salvação em Jesus Cristo Nosso Senhor.

 

III. CONCLUSÃO: 

Uma família que possui e pratica estes princípios sólidos tem muito mais chances de viver neste “Mundo liquido”, gozando de saúde e resistindo aos vírus e bactérias do pecado que tão de perto nos rodeiam.