Pesquise no site da PIB:

 

 

 

                        

MENSAGEM PIB BRÁS – A HUMILDADE DE UMA CRIANÇA -  

DATA – 22.10.2017 MANHÃ TEXTO – SALMO 131

I. INTRODUÇÃO: 

Este salmo faz parte da coletânea de John Stott “Salmos Favoritos”

Assim ele escreve: “Estas palavras, que pintam o retrato de como a criança depende de sua mãe e nela encontra satisfação, parece antecipar a insistência do nosso Senhor da necessidade de uma humildade de criança. ”

Humildade - Simplicidade; qualidade de quem é modesto, simples, humilde.
Modéstia; qualidade de quem tem consciência de suas limitações.
Inferioridade; em que há ou demonstra fraqueza diante de algo ou alguém.
Acatamento; que expressa submissão em relação aos seus superiores.
Sobriedade; escassez de luxo. 

II. DIVISÃO: 

1. O SALMISTA SE VÊ A SI MESMO – Verso 1 – o salmista compara o que ele não é com o que é. Ele não se orgulha, ele diz, de seu coração nem de sua aparência. Ele não se ocupa de grandes coisas. Ele se reveste de modéstia, simplicidade. Creio que é assim que Jesus deseja ver os seus servos, sobretudo seus amigos. 

2. O SALMISTA TEM UMA ATITUDE DE RENUNCIA – Verso 2 – o salmista renunciou as ambições orgulhosas de prestigio e poder, para si próprio ou para Israel após a restauração, ainda humilhada sob um jugo estrangeiro. Ao invés disso, ele está disposto a ser como uma criança desmamada, que não chora mais para mamar, mas se aninha, satisfeita, nos braços da mãe. Esta condição é de alguém que, liberta de ambições arrogantes, encontra satisfação perfeita em Deus.

Stott chama isto de “maternidade” de Deus.

3. O SALMISTA ANIMA O POVO A APRENDER ESTA PRECIOSA LIÇÃO – Verso 3 – Assim como no salmo 130:7, o salmista mostra a lição que aprendeu, aqui ele expressa o desejo de que o povo de Deus a aprenda também. 

III. CONCLUSÃO: 

Com humildade, diz o salmista: “Espera, ó Israel, no Senhor, desde agora e para sempre. ”