Pesquise no site da PIB:

 

 

 

                        

Em seu evangelho, Lucas dá atenção especial à participação do Espírito Santo no ministério público de Jesus Cristo. O mesmo destaque dá o piedoso médico quanto ao protagonismo e à cooperação do Espírito Santo na missão da Igreja em Atos dos Apóstolos. A similaridade dos acontecimentos chega a impressionar. No batismo, o Espirito Santo paira, desce sobre Jesus e este inaugura o seu ministério diante dos homens. Em Pentecostes, o Espírito Santo repousa sobre a Igreja e esta inicia a sua missão para as nações. A missão do Espírito Santo nos dois livros, embora separados pelo cânon, é uma só, fazer com que a Palavra de Deus seja ouvida, acolhida, crida e praticada. A Igreja do Espirito é antes de tudo a comunidade do Ver boa comunidade da Palavra. O Espírito Santo anima, impulsiona, dirige e corrige a Igreja me diante a pregação da Palavra de Deus. É sempre em obediência à Palavra que a Igreja se torna uma realidade espiritual.

A Igreja Cristã continua sendo ordenada a se dirigir ao mar aberto, às águas mais profundas, onde estão os cardumes mais numerosos, mais preciosos e mais difíceis de serem pescados. Esse mar aberto são os confins da terra, as nações, povos e tribos sem a presença efetiva do Evangelho, com uma presença quase inexistente de cristãos. A Igreja deve dirigir­-se a essas águas profundas porque ouviu, acolheu, entendeu a Palavra de Deus e, por causa dela, e só por isso, deve abandonar o porto das seguranças humanas e as águas rasas de um ministério de conservação e de manutenção da vida religiosa dos crentes.

Onde a Palavra é pregada com fidelidade e desassombro, os “ventos do Espírito Santo dão contra as velas” da Igreja, levando­ a a singrar o mar aberto do mundo lançando as redes do evangelho.

Jogar as redes é dever dos discípulos. Encher as redes é uma tarefa do Espírito Santo. Se queremos ver milagres de vidas convertidas e santificadas, obedeçamos à Palavra e, com Jesus, enfrentemos o mar aberto.

A Primeira Igreja Batista do Brás tem ouvido os desafios que nos são lançados e tem se apresentado para obedecer à Palavra e, com Jesus, enfrentar o mar aberto. Quero agradecer a todos os irmãos que cooperaram para que o alvo de oferta da Campanha de Missões Nacionais fosse alcançado e ultrapassado e peço para que continuemos envolvidos com evangelismo e missões em todo tempo!

Texto extraído da Revista Ultimato e adaptado -

Pr. Marcos Peres