Pérgamo, a igreja casada com o mundo

No culto de oração e estudo bíblico desta quarta-feira, 23/06/2021, o pastor Marcos Peres continuou os estudos sobre as igrejas do livro de Apocalipse, capítulo 2, versículos 12 a 17. 

Na terceira parte dessa série de estudos, depois de conhecermos mais das igrejas de Éfeso e de Esmirna, chegamos a cidade de Pérgamo, famosa por sua grande biblioteca que só perdia em fama e tamanho a de Alexandria. Aliás, o nome da cidade se deu também pelos pergaminhos de qualidade excelente que produziam. 

“Ao anjo da igreja em Pérgamo, escreva:
“Estas são as palavras daquele que tem a espada afiada de dois gumes.
“Sei onde você vive—onde está o trono de Satanás. Contudo, você permanece fiel ao meu nome e não renunciou à sua fé em mim, nem mesmo quando Antipas, minha fiel testemunha, foi morto nessa cidade, onde Satanás habita.
“No entanto, tenho contra você algumas coisas: você tem aí pessoas que se apegam aos ensinos de Balaão, que ensinou Balaque a armar ciladas contra os israelitas, induzindo-os a comer alimentos sacrificados a ídolos e a praticar imoralidade sexual. De igual modo você tem também os que se apegam aos ensinos dos nicolaítas. Portanto, arrependa-se! Se não, virei em breve até você e lutarei contra eles com a espada da minha boca.
“Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei do maná escondido. Também lhe darei uma pedra branca com um novo nome nela inscrito, conhecido apenas por aquele que o recebe.
(Apocalipse 2:12-17)

O Senhor Jesus se apresenta nesta carta como alguém que tem uma espada de dois gumes (v. 12) e logo faz menção as obras (v. 13) não porque as obras podem nos salvar, mas porque Ele mostra que está atento, nos acompanha e nos conhece. Nesta cidade, além dos locais de adoração dos deuses romanos, havia adoração ao imperador romano (v. 14), daí a referência ao trono de satanás. Eles eram reféns porque não estavam negando a fé (v. 14) e devemos nos perguntar se estamos firmes em nossos compromissos diante do Senhor. Somos homens e mulheres de oração, fiéis a mordomia, entregando nossos dízimos e ofertas mesmo em momentos difíceis. O Senhor Jesus está atento as suas obras para que as faça de coração alegre para que assim possa receber um elogio como este: “minha testemunha fiel”. 

Os membros desta igreja eram cristãos de conveniência, viviam uma vida dupla (v. 15) e não deixavam de viver de acordo com os hábitos do mundo, aceitando e repetindo costumes que não estavam dentro do padrão de Deus. Eram induzidos a imoralidade e aos costumes pagãos da cultura que os cercavam, daí a censura vinda de Jesus. 

Mas, apesar de tudo, esta igreja também recebe uma promessa do Senhor! O verdadeiro maná (v. 17) que vem do seu é o próprio Senhor Jesus Cristo, Ele é o manjar perfeito que devemos ter ao nosso alcance e nós, igreja de Jesus, não precisamos provar de outros manjares, de outras mesas. E ainda há outra promessa: como Pedro, somos “pedrinhas” que formam o grande edifício que se chama igreja e não me refiro ao templo, mas sim ao corpo de Cristo e igreja do Senhor neste tempo. 

Que possamos andar neste mundo de uma maneira que agrade a Deus, não seguindo outras culturas e costumes que nos afastem do Senhor. A palavra aqui é arrependimento. Arrependa-se enquanto é dia, pois quando o Senhor Jesus vier com sua espada com justiça e autoridade pode ser tarde demais. 

Veja ou reveja o culto no nosso YouTube: 

Curta, compartilhe e abençoe famílias. Compartilhe palavras de esperança, envie as mensagens para alguém e espalhe a Palavra de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Igreja Batista do Brás. Uma igreja bíblica, missionária e acolhedora, fundada em 8 de junho de 1911. Uma comunidade de fé unida pelo amor da Graça de Jesus Cristo derramada em nossos corações; unidos no propósito de reviver a cada dia a história de alegria pela vida de cada alma rendida aos pés do Senhor; alegria pelos passos de cada um rumo a Jesus Cristo, Autor e Consumador da nossa fé; alegria de esperar a Gloriosa Vinda do Nosso Amado Salvador. (Pr. Marcos Peres)
Artigos recentes