Como lidar com um “não” de Deus

Você sabe ouvir um “não”? Tem gente que tem muita dificuldade de ouvir um não. A verdade é que não é fácil ouvir um não, nem das pessoas, nem de Deus. Como foi no caso de Moisés, que ao pedir que Deus revisse Sua decisão e o deixasse entrar na terra prometida, ouviu: “Chega! Não me fales mais nisso” (Dt3.26). 

O que podemos aprender nas Escrituras sobre como lidar com um “não” de Deus?

Um não de Deus ensina que a vida tem limites. É possível dizer que o não a Moisés foi parcial, pois Moisés disse: “… me deixes atravessar, para que eu veja essa boa terra” (v.25). Um pedido duplo: atravessar e ver a terra. Deus permitiu que ele subisse ao monte Pisga e visse a terra, mas não o permitius tem colocado sobre nossa vida nos liberta de devaneios, e protege outros e a nós mesm atravessar a terra, isto seria feito por Josué” (v.28). Conhecer os limites que Deuos. Lembro da história de um americano que viu no Brasil um século atrás uma terra promissora para o Evangelho e pensou em se apresentar como missionário. Porém, refletiu e decidiu que, devido à sua idade, o melhor seria preparar um jovem casal para tal missão, o casal Bagby. E, como sabemos, Deus abençoou. Uma das orações mais sábias que podemos fazer a Deus é pedir que o Senhor nos ensine a conhecer nossos limites (Sl 90.12).

Um não de Deus pode ser um sim para algo melhor. A vida de Moisés foi bonita. Seus primeiros 40 anos, educado na corte egípcia. Mais 40, aprendendo a pastorear no deserto. Os últimos 40, libertando o povo do Egito e o conduzindo no deserto. Alguns dizem que Deus preparou Moisés 80 anos para usar 40. Mas, o que aconteceria se ele cruzasse o Jordão? Sua história terminaria bonita assim? Ou, seria como a de Ezequias, um dos melhores reis que Judá teve, mas que pediu mais anos de vida a Deus depois de receber o aviso que morreria? Deus lhe concede mais 15 anos. A Bíblia, porém, afirma que o coração de Ezequias se exaltou e foram esses seus piores anos (2º Cr 32.25). Já Moisés, talvez, lá no céu nos diga: “Eu até fiquei triste com aquele não de Deus, mas hoje vejo que foi melhor… Eu não entrei na Canaã terrena, mas na Canaã celestial”. 

Um não de Deus, pode nos fazer melhores. Como a gente vê no caso de Paulo, que pediu três vezes para Deus lhe tirar um espinho na carne, posto, segundo ele mesmo, para que não se ensoberbecesse. Mas, a resposta foi: “Minha graça te basta, pois meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2ª Co 12.7-9). Como diz o Eclesiastes, “a tristeza melhora o coração” (Ec 7.3). Ou seja, no plano de Deus de nos fazer de crianças espirituais a pessoas à estatura do Varão perfeito há alguns “nãos” incluídos. Aliás, diz a boa pedagogia que as crianças precisam aprender a também ouvir “não”. É como conta um avô, que num passeio, sua neta disparou em corrida em direção à rua, na qual vinha um carro com certa velocidade, ao que o avô gritou: “não!”. Ela parou imediatamente e o carro passou. Ouvir e atender ao não, lhe salvou a vida. 

Nem sempre é fácil ouvir um não. Pela fé, porém, podemos crer que um “não” de Deus é um sim para coisas melhores. Pedir que seja feita Sua vontade e louvá-lo em cada oração, faz parte da oração madura. Como disse o salmista, “aos retos convém o louvor” (Sl 3.1).

Texto do Pr. Ricardo Arakaki no informativo da PIB do Brás do dia 23/07/2023.

Curta, compartilhe e abençoe famílias. Compartilhe palavras de esperança, envie as mensagens para alguém e espalhe a Palavra de Deus.

Deixe um comentário